Preserve a pista de dança. Jogue o lixo no lixo

Viver, dançar em meio ao lixo não é nada agradável, por isso, faço apelo: vamos preservar nosso solo sagrado, a pista de dança!

Pista Limpa

Estamos vivendo uma epoca onde as pessoas estão evoluindo mentalmente em diversos assuntos e aspectos. Estamos deixando nossos preconceitos de lado, aceitando as pessoas como elas são, dando real valor as minorias, mas e o meio ambiente?

Quem é que não gosta de chegar na casa de alguém, ou na sua própria e encontrar um ambiente limpo, acolhedor? Ambientes bagunçados tendem a ser mais perturbadores, não é?

Sim, eu sei que algumas pessoas são bagunceiras por natureza e me incluo nelas, mas a sensação de terminar aquela faxina do quarto é impagável, certo? Acender um incenso num lugar totalmente esterelizado, ouvir uma música que você gosta e relaxar é sempre muito bom, então, porque quando chegamos nas festas, clubs e afins, adoramos viver em meio ao lixo?!

Pra muitos, algumas atitudes são extremistas, mas já parou pra pensar que se cada um fizer o seu, podemos mudar o mundo, o nosso mundo, seja ele qual for e hoje, uso desse texto para fazer um pedido, quase um apelo: preservem a pista de dança!

Pista Limpa

É cada vez mais comum irmos numa festa e percebermos que no decorrer da noite, a pista vai se transformando num enorme lixão. Toneladas de garrafas, latas, embalagens e afins são descartadas sem nenhum puder no chão, muitas vezes até próximo a latas de lixo. Você anda por sua casa ou trabalho, jogando seu lixo por onde quer que passa? Por que então, faz isso numa festa?

“Ah, mas a produção devia ter colocado mais lixeiras…”
Concordo com você, mas custa guardar seu lixo, deixar ali num cantinho e quando você for ao bar ou ao banheiro, descartar no luguar correto?

“Ah, mas tem gente trabalhando pra recolher o lixo…”
Então, pensando assim, você vai morrer pra dar trabalho pro coveiro?

No Facebook, muito se fala sobre “o público mainstream não respeitar a pista de dança” e constantemente grandes eventos comerciais são comparados com festivais alternativos, onde a pista consegue manter-se limpa por mais tempo. Onde está o problema então? Será que o número de lixeiras distribuidas é realmente o verdadeiro problema de toda a sujeira jogada por ai ou será que grande parcela dos ravers têm um pensamento retrogrado quanto a conservação do ambiente em que está?


Pista Limpa

Faça um experimento: leve sacos plásticos e deixe num lugar vísivel, de fácil acesso, entre a sua galera. Durante a festa, jogue seu próprio lixo nestes sacos e sempre que possível, recolha aqueles que estão próximos a você. No final da festa, descarte tudo de uma vez, num lugar só. Preserve o seu pedaço de pista!

Não estou pedindo pra você sair recolhendo o lixo de todos, afinal, cada um é responsavel por aquilo que gera e consome, mas boas ações geram boas ações e quando você perceber, pessoas ao seu redor estarão fazendo igual, cada um cuidando do seu.

“Ah, mas isso não funciona…”
Engano seu e como exemplo citarei o Lollapalooza, um dos festivais de música mais comerciais do calendário nacional. Sacos plásticos eram distribuidos para quem quisesse. Você recolhia seu lixo e ao final da noite, devolvia ele cheio, pra ser descartado da forma correta e ainda ganhava um mimo de presente. Posso dizer por mim: só de colocar ele próximo de mim, pessoas descartavam seus copos e latas dentro do saco, sem precisar se deslocar pra lixeira mais próxima. Até ambulantes usavam o saco que estava comigo. Ou seja, o número de lixeiras é o verdadeiro vilão do excesso de lixo?

Pista Limpa
Sacos sendo distribuidos no Lollapalooza

Claro que um mimo aqui, era um pequeno estímulo, mas preservar o ambiente em que estamos, descartar nosso lixo de forma consciente é nosso dever. O pensamento de preservação deve partir de nós, sem qualquer influência de terceiros. Uma festa limpa terá uma energia diferente, um visual mais bonito e pode até evitar acidentes. Imagina que chato, você pisar descalço numa bituca de cigarro acessa ou pedaço de plástico? O bem que um ambiente limpo traz é gigante!

Como bons ravers que somos, a pista de dança é uma segunda casa para nós, que nos proporciona contato direto com a música e a natureza, por isso, vamos preservar nosso ambiente. Tenho certeza que saindo do festival, você acabará colocando em prática isso em diversas situações da sua vida. Preserve a pista!


Comentários

DJ, Produtor, Redator, Libriano e Sonhador. Há vinte e tantos anos, embalado pelo Trance.