Descubra: Colussi

Residente de um dos clubs de maior prestigio do cenário brasileiro, o El Fortin, Colussi é o personagem da coluna Descubra do Beat for Beat:

Colussi

Diego Colussi ou simplesmente Colussi é mais um artista emergente na sempre interessante cena do litoral catarinense. Já há alguns anos, Colussi faz da música sua profissão e dedica boa parte de sua vida a ela. Os frutos de um trabalho sério e dedicado tem sido colhido aos poucos, especialmente por conta de sua ligação e residência no El Fortin, club que ajudou a moldar sua personalidade enquanto artista nos últimos 2 anos.

Na cabine do club, Diego desempenhou ótimos sets no papel de warm up e fechou uma das noites mais especiais do ano passado, um closing set intenso que ficou marcado na temporada de verão do club e, claro, na sua história. Recentemente, Colussi fez seu debut no Green Valley e pouco a pouco começa a se destacar no cenário regional com ótimas performances frente a núcleos regionais e estaduais.

No próximo dia 25, ele será um dos responsáveis por comandar a pista do El Fortin em seu aniversário de 13 anos. Nós aproveitamos a ocasião para bater um papo naquele melhor estilo Descubra. confira abaixo:

Beat for Beat – Olá, Diego! Tudo bem? Obrigado por nos atender. A música eletrônica representa parte importante da sua vida hoje. Em qual momento você percebeu que ela poderia ser algo mais que apenas um hobby?
Colussi – Olá amigos! Eu é quem agradeço, é uma honra poder falar com vocês. Acredito que desde minha adolescência, por volta dos meus 15 anos, quando meu contato com a música eletrônica já era muito forte, e eu sentia que a música teria de ser parte da minha vida, parte de mim. Até hoje a música é meu ”combustível”, é o que me motiva a não desistir, e tornar meus sonhos realidade!

B4B – Quão importante o El Fortin e todo staff do club tem sido no teu desenvolvimento enquanto artista?
Colussi – Com toda certeza devo muito ao El Fortin, foi o club que abriu as portas para mim, tanto artisticamente, como profissionalmente. Agradeço muito por essa chance e acredito que venho sendo reconhecido pelos meus esforços, desde que tive a chance de mostrar meu potencial.


B4B – Percebo que você tem feito um trabalho bem importante frente a sua residência no club, tocando em diferentes horários e tipos de noite. Na sua visão, o que não pode faltar em um bom residente?
Colussi – Acredito que um residente deve adaptar-se às circunstâncias de cada festa, pois dependendo do horário, do headliner do evento, ele irá influenciar em toda a construção da noite, e você deve estar preparado para qualquer adaptação. Além disso, é obrigatório saber respeitar os horários, pois o warm up é um ponto crucial da festa, onde você deve ir trabalhando a pista, sem passar dos limites, para receber o público da melhor maneira

B4B – Desde que você passou a fazer parte do El Fortin, qual foi a noite mais especial que você vivenciou no club?
Colussi – Com toda certeza a última noite de 2017, dia 29 de Dezembro. Jamais esquecerei dessa noite, pois parece até que foi destino. Na noite eu tocava na pista Origins, e pela primeira vez, eu havia levado meu notebook para o El Fortin. Fiz meu set normalmente na Origins, e lá pelas 3, 4 horas da manhã, fui informado de que Boris Brejcha teria de pegar o voo para o Universo Paralello, e não poderia tocar até o fim da festa (Avrosse era quem encerraria a noite, mas por problemas de logística não pôde comparecer), e quem ficaria responsável por encerrar o palco principal do club, logo após Boris Brejcha B2B Ann Clue, SERIA EU!

“Na hora não acreditava ainda, não estava caindo a ficha e estava super nervoso, até com um pouco de medo. Por sorte (ou destino), como falei logo a cima, pela primeira vez eu havia levado meu notebook, e foi quando por volta das 4 e pouco da manhã, liguei ele, coloquei meu headphone, me concentrei totalmente e comecei a preparar as tracks, para logo em seguida, ter essa imensa responsabilidade de encerrar a última noite do ano do trevas. Foi surreal, demorou alguns dias para cair a ficha. Agradeço muito a Deus por isso e espero que algum dia tenha novamente a oportunidade de encerrar uma noite no nosso club.”

B4B – Quais movimentos musicais e artistas tem influenciado você nos últimos meses?
Colussi – Techno e Tech House. Alguns dos artistas que mais admiro e me influenciam são: Maceo Plex, Dixon, Solomun, Patrick Topping, Tale of Us, Camelphat, entre outros. Além disso, é claro, os brasileiros Gui Boratto, Victor Ruiz, Blancah, Anna, Wehbba e Alex Stein, que nos enchem de orgulho representando o Brasil pelo mundo todo!

B4B – Para finalizar! Aonde você sonha estar com sua música daqui a 5 anos?
Colussi – Sonho em estar produzindo minha própria música, a um nível elevado, de alta qualidade, e ser reconhecido por isso, caso minha música realmente faça a diferença para as pessoas, como a de outros artistas fazem para mim hoje em dia.


Comentários

DJ, Produtor, Redator, Libriano e Sonhador. Há vinte e tantos anos, embalado pelo Trance.