Entrevistamos: Darick Gyorgy

Um brasileiro destaque internacional. Com lançamentos em labels importantes, como Toolroom e Get Physical, conversamos com Darick Gyorgy.

Darick Gyorgy

É natural que nós, brasileiros, olhemos com mais atenção para DJs e produtores nacionais que de alguma forma conquistaram um destaque importante no circuito internacional. Pode ser uma tour, uma participação em um grande festival, uma sequência de suportes ou até mesmo lançamentos por labels de ponta, nossa visão muda e isso se explica pela tradição que países como Alemanha, Estados Unidos e Inglaterra possuem na dance music, algo que vem de muito antes das batidas que conquistaram São Paulo e posteriormente o Brasil no fim da década de 90, começo dos anos 2000.

Dito isso, vale destacar o trabalho do DJ e produtor Darick Gyorgy, que já há algum tempo deixou de ser uma promessa para se tornar uma realidade dentro do panorama eletrônico brasileiro. Ao alcançar labels como Toolroom e Get Physical, Darick pulou para um next level em sua jornada e desde então tem trabalhado e se esforçado em diferentes frentes para manter tal reputação e trajetória de sucesso. Às véspera de uma série de lançamentos importantes, falamos com Darick sobre o desenvolvimento recente de sua carreira:

Beat for Beat – Olá, Darick! Tudo bem? Atualmente, como você tem organizado sua rotina de produção musical? O que exatamente tem inspirado seu cotidiano?
Darick Gyorgy – Tudo ótimo, obrigado. O processo de criação flui naturalmente, não tem um dia exato para isso, tudo depende dos sentimentos que quero transparecer no momento. As vezes outras músicas me inspiram, as vezes quando estou tocando teclado, as vezes um momento que ficou marcado. Na verdade são um conjunto de coisas que criam os momentos de inspiração na vida.

B4B – Pessoalmente e profissionalmente, o que representa pra você ter releases de labels como Get Physical e Toolroom no catálogo?
Darick – Antes de tudo foi uma realização pessoal, são labels que sempre admirei e tive vontade de fazer parte do catalogo. Ter assinado tanto na Toolroom quanto na Get Physical representa muito, principalmente por estar ao lado de produtores e artistas que fizeram e fazem parte da minha trajetória e também pela visibilidade que os labels proporcionam.

B4B – Aos 18 anos você se tornou residente do D-EDGE, certo? Na época e para o seu desenvolvimento enquanto DJ, quão importante foi essa residência?
Darick – O D-EDGE continua sendo uma grande escola até hoje, referência em line up e boa música. Sem duvidas é uma grande honra ter o club na minha trajetória juntamente com o Paradise After Hours que me proporcionou outra residência. Vivenciei momentos que ficarão marcados para sempre. Sets Impecáveis e emocionantes que são lembrados até hoje. Motivos para muita inspiração que com certeza o club vai continuar nos proporcionando por muito tempo.


B4BUltra Miami e EDC Brasil. Conta pra gente como foi a experiência de tocar nesses dois festivais que certamente estão entre os maiores e mais disputados do mundo?
Darick – O Ultra Miami foi uma experiência marcante, estar ao lado de muitos nomes que estão entre os melhores do mundo é sem dúvidas muito gratificante. Desde a hora em que cheguei no hotel ,passando pelo convite para uma festa private do Carl Cox em um Iate que rolou um dia antes do Ultra começar, até o acesso a área de artistas nos dias de festival e finalmente o set. Eu diria que tive momentos intensos em Miami.

O EDC Brasil foi uma experiência nova. Fui tocar a convite da Radio Energia 97 FM, referência em musica eletrônica no Brasil. O Set foi transmitido ao vivo de uma estação de radio que foi montada dentro do festival. Essa foi a  primeira vez que toquei em um festival com a transmissão do set ao vivo pela rádio, foi marcante.

Darick Gyrogy
Darick Gyrogy no Ultra Miami

B4B – Na sua opinião, qual a principal qualidade que um DJ deve ter para entregar uma boa experiência na pista?
Darick – Autenticidade, leitura de pista, feeling e a troca de energia são essenciais.

B4B – Seu catálogo conta com algumas collabs importantes. Como é pra você produzir em parceria?
Darick – Acho legal produzir collabs por ter a visão de 2 ou mais pessoas na musica, mas ultimamente tenho trabalhado mais parcerias com vocalistas.

B4B – A última, para encerrarmos. O que podemos esperar do Darick Gyorgy para o restante de 2018?
Darick – Muitas novidades, incluindo algumas tracks por uma gravadora Major que esta entre as 5 maiores do Mundo. Também vou divulgar nas próximas semanas e também lançamento do meu novo projeto G.Y.O.R. Projeto no qual tenho trabalhado muito e me planejado, fiz algumas viagens para a gravação dos vocais incluindo sessões em Amsterdam e Los Angeles. Então com certeza os próximos meses serão um dos mais agitados da minha vida em termos de lançamentos.


Comentários

DJ, Produtor, Redator, Libriano e Sonhador. Há vinte e tantos anos, embalado pelo Trance.