Entrevistamos: GTA no Lollapalooza Brasil

Conhecidos por misturar gêneros e possuírem gigantescos hits, o duo de Miami GTA conversou com nossos editores no Lollapalooza Brasil.

GTA

Naturais de Miami, Julio Mejia e Matt Toth respiram música eletrônica desde muito cedo e hoje, são uma das duplas mais requisitadas no cenário eletrônico mundial: o GTA. Sem prender-se a estilos, o duo é conhecido por uma grande variedade de ritmos eletrônicos que fazem parte de sua apresentação e foi durante o Lollapalooza Brasil, que conversamos com eles num papo super descontraído e animado. Confira abaixo:

Beat for Beat – O GTA começou em Miami através de um quarto que virou o estúdio de produções de vocês dois. Como vocês se conheceram e como decidiram se juntar para criar dance music?

GTA – Nós nos conhecemos no Facebook. Nós dois somos de Miami e já produzíamos musicas individualmente, até que amigos em comum nos apresentaram e acabamos naquela de “ei, escuta minha música aqui”, “escuta a minha também” bem no estilo “collab bro”, até que conseguimos marcar um dia pra nos encontrarmos e começarmos a produzir algumas coisas juntos. Nesse meio tempo, descobrimos que nós dois gostávamos das mesmas coisas, dos meus estilos musicais. Quando vimos, estamos produzindo mais e mais coisas juntos. Todo esse tipo de coisa maluca que a gente faz e aqui estamos!

B4B – Antigamente, GTA era ‘Grand Theft Audio’ e atualmente vocês mudaram o nome para ‘Good Times Ahead’, mas sempre usam a sigla. Houve um significado maior para a mudança?

GTA – Acho que de inicio, foi a questão do nome ser um pouco longo demais. Resolvemos usar apenas GTA pra deixar mais simples e começamos a pensar no que queríamos com a nossa musica, o que queríamos expressar através dela, seja nos nossos sets ou na produção das tracks. Nós queremos, acima de tudo, criar bons momentos pra nosso público por isso, “Good Times Ahead”. Isso é basicamente nossa filosofia, é tudo o que queremos e gostamos de fazer. É o que nós somos e por isso a mudança foi necessária e encaixou perfeitamente.

GTA

B4B – Vocês sempre misturam diversos gêneros da dance music em seus sets. Trap, electro, house, dubstep, criando uma sonoridade própria, única em suas apresentações. Como vocês quebram essas barreiras de gênero impostas pelo mercado? O público é bem receptivo com toda essa mistura?

GTA – Nós sempre tentamos criar sets específicos para diferentes tipos de públicos. Por exemplo nosso set aqui no Lolla, que foi bem cheio de funk. Nós sabemos que o público brasileiro gosta bastante do estilo, então nos procuramos misturar aquilo que nós já fazemos, com tudo aquilo que o público local está ouvindo e curtindo. Nosso trabalho como DJs é prestar atenção no público e proporcionar pra eles a melhor experiência possível. Nós mesmo ouvimos funk! Lá em Miami a gente consegue ouvir bastante coisa do que tá rolando por aqui. Nós acompanhamos alguns MCs e DJs do estilo ou que fazem algo com influências, como o Tropkillaz e Anitta. Nós gostamos do ritmo. É muito dançante e quem não gosta, deveria passar a gostar!

B4B – Vocês foram apadrinhados por Diplo no início de suas carreiras. Como Diplo achou vocês e como ele ajudou na evolução da carreira do duo?

GTA – Aah nós começamos a seguir o Diplo em todos os lugares, literalmente quase como stalkers. Durante a Miami Music Week, por exemplo, nós conseguíamos conversar com ele, o Diplo foi super acessível, indo até nossa casa, trabalhando com a gente. Ele realmente dava suporte para nós como novos talentos e isso foi muito legal. Nós tivemos o suporte de outros nomes também, como A-Track, Laidback Luke, Steve Angello, mas o Diplo é quem nos inspira nesse sentido de explorar novos sons. Ele consegue criar coisas extremamente populares. Ele é um dos grandes nomes nos Estados Unidos e isso por conta dele não se prender a estilos. É o que estamos fazendo.

B4B – Grandes sucessos fazem parte do repertório de vocês, fazendo vocês se tornarem muito disputados a criarem parcerias com grandes artistas. Quais destas collabs vocês mais curtiram fazer?

GTA – Ah, nós gostamos de todas elas, mas definitivamente uma das mais importantes foi a Martin Solveig, ‘Intoxicated‘, ela é uma das nossas favoritas. Trabalhar com o Martin foi uma experiência incrível. Ele é muito criativo e estava muito focado naquilo que queríamos fazer. Foi muito divertido trabalhar com ele. Outra grande inspiração e que queremos fazer algo juntos é com o Pharell, ele é incrível e tem um trabalho fantástico.

B4B – Falando ainda sobre colaborações e parcerias, tem algum artista brasileiro que vocês têm vontade de trabalhar?

GTA – Um dos motivos de chegarmos aqui no Brasil antecipadamente foi pra isso, pra escutarmos e conhecermos mais artistas brasileiros, conhecermos novos estilos e sons, para criar coisas novas. Definitivamente queremos trabalhar mais com Tropkillaz, temos planos de tentar algo com a Anitta.

B4B – E agora, contem pra gente: como foi o show no Brasil? Vocês curtiram o Lollapalooza?

GTA – Foi incrível! A energia do público brasileiro é contagiante. Foi muito divertido tocar no Lolla, tanto no palco principal quanto no after que rolou no Lolla Lounge. Nós tocamos muita coisa nova que temos feito no estúdio, coisas que temos trabalho nos últimos meses. Foi uma experiência muito boa. Nós amamos tocar e inclusive, fomos pra pista curtir o show do Kendrick Lamar. Foi muito bom! Obrigado Brasil, queremos voltar mais e mais vezes.

Comentários

Editores do Beat for Beat. Apaixonados pela música, pela pista e uma boa taça de gin.