Entrevistamos: KVSH

KVSH é um dos grandes nomes da nova safra de DJs do cenário brasileiro e fará uma apresentação no Rock in Rio, uma das mais importantes de sua carreira.

KVSH
KVSH

A safra de novos artistas vem crescendo cada vez mais nos últimos anos e sempre, com muita qualidade musical. Considerado um dos grandes nomes dessa nova geração de DJs e Produtores, Luciano Ferrei,ra o nome por trás do projeto KVSH, já coleciona grandes números. Com milhões de plays no Youtube, Spotify e com grandes apresentações no currículo, KVSH conversou com a gente às vésperas de sua tão sonhada e aguardada apresentação no Rock in Rio. Entrevistamos: KVSH!

Beat for Beat – Fala KVSH, beleza? Obrigado por nos dedicar um pouco do seu tempo. Para começar, vamos voltar bem lá atrás, quando os planos para o inicio da carreira começavam. Quando foi que o Luciano decidiu dar seus primeiros passos na música eletrônica e quem foram os artistas que o inspiraram a isso?

KVSH – O que me fez gostar da música eletrônica foi o fato de você conseguir cria-la, usando apenas um computador, afinal, sempre fui muito nerd, mas também gostava muito de música e quando eu descobri que era possível unir esses dois mundos, criando música no meu próprio computador, eu comecei então a me dedicar a produção musical. Os primeiros artistas que me influenciaram diretamente na época, em meados de 2009/2010 foram artistas brasileiros: Dirtyloud, Felguk, FTampa e um pouco dos internacionais, como o Deadmau5 e Martin Garrix.

B4B – Você teve uma estrondosa ascensão na sua carreira desde 2015. Nestes 4 anos para cá, sua música vem alcançando milhares de pessoas em todo o mundo. Qual foi o momento crucial do qual você percebeu que o sucesso chegou para você? Como foi acordar um dia e ver o que tinha conquistado em tão pouco tempo?

KVSH – Acho que um dos momentos onde teve aquela virada de chave na minha carreira, sem dúvidas foi no ano passado, 2018, quando eu comecei a tocar nos principais festivais do Brasil e principalmente, quando eu me vi tocando no Só Track Boa e em festivais como o XXXPerience e esse ano, no Lollapalooza Brasil. Foram nesses momentos, que eu realmente percebi que o projeto estava crescendo, que eu estava atingindo mais pessoas e quando a confirmação do Rock in Rio chegou, foi quando a ficha realmente caiu!

B4B – Você está hoje, entre os maiores produtores brasileiros daquilo que chamam de “low bpm”. Muitos ainda defendem a bandeira do Brazilian Bass em suas produções, mas o KVSH, é um artista do Bass ou um DJ sem gênero musical totalmente definido? Como é o processo criativo de suas tracks?

KVSH – Falando nessa questão de estilos, eu não considero que minha música tenha um estilo único, específico. Eu acho que hoje, a música eletrônica é o estilo música mais adaptável, abrangendo várias outras vertentes dentro dele e por isso, não posso ou consigo definir meu som. Eu sempre digo que o que produzo é o estilo KVSH aplicado nas vertentes que a música eletrônica tem, desde o low bpm, com uma sonoridade mais brazilian bass por assim dizer, até os bpm mais altos, como o trance. Essa minha fluidez é traduzida no processo criativo de uma track. Vou muito da vibe que estou no momento que estou produzindo uma track. Quando vejo que um estilo diferente funcionou melhor que outro durante um set ou que criei um som, que soou melhor que outro, independente do estilo, foco nele e dali saem minhas músicas.

B4B – Sua carreira é cheia de colaborações com artistas que também tiveram uma ascensão meteórica como a sua. Nomes como Vintage Culture, Samhara, Santti e JORD já produziram tracks com você. Como surgem os convites para tais collabs? A amizade com estes artistas já existia antes dos lançamentos?

KVSH – Todas as minhas collabs foram feitas baseadas muito na amizade que eu possuo com os outros produtores. Muitas vezes, essa amizade nasce nos encontros dos festivais da vida, nas redes sociais, trocando mensagens, até que surge o famigerado “collab bro?”. Geralmente nos encontramos no estúdio de alguém e entre uma zueira e outra, a música vai surgindo, fazendo a junção de diferentes estilos de produção, que vão resultar numa track bem legal.

B4B – Assim como o Luciano começou, anos atrás, outros talentos desconhecidos estão por ai, buscando seu lugar ao sol. Se pudesse dar um conselho a quem está nesta luta, qual seria?

KVSH – O conselho que eu posso dar pra todo mundo é foco e disciplina, principalmente. A música eletrônica não é brincadeira, não é fácil e é preciso estudo e muita dedicação. Outro ponto muito importante é nunca desistir! Pode parecer difícil no caminho, o caminho pode parecer longo, mas é preciso ter força de vontade. Acho legal também a questão de ter conhecimento do inglês. Pode parecer meio clichê, mas muito do conteúdo que eu usei pra aprender, estava em outra língua, então procurar material no YouTube, por exemplo, é uma das opções e maioria deles está na língua inglesa.

B4B – Mesmo com tão pouco tempo de carreira, o projeto KVSH vem ganhando destaque em grandes eventos, como o Lollapalooza e agora, o Rock in Rio. Sabemos que não existe fórmula mágica, mas conta pra gente: como foi administrar esse crescimento exponencial do KVSH?

KVSH – Nada aconteceu da noite do pro dia, claro. O projeto começou do zero, subindo tijolinho por tijolinho e a cada passo que você dá, você aprende uma coisa nova. A gente erra algumas vezes, mas como meu pai sempre dizia que ninguém pode acertar sempre, mas que ninguém vai fracassar pro resto da vida. O importante é saber equilibrar os erros e acertos, administrando bem tudo o que acontece, superado as dificuldades que existem e acertando cada vez mais.

B4B – Com certeza sua participação no Rock In Rio, maior festival de música do Brasil, vai ser um momento histórico em sua carreira. Ansioso para o evento? Tem algum detalhe que gostaria de compartilhar conosco sobre seu futuro show?

KVSH – Sem dúvidas é um momento muito marcante na minha carreira, aposto até em dizer que talvez será o meu maior show até hoje, afinal, estarei no palco de um dos festivais de música do mundo e o maior do Brasil. Nós preparamos muita coisa nova pro show, desde uma nova introdução, novas tracks, novos efeitos visuais, tudo novo, podem apostar. Será a apresentação mais importante da minha carreira atual e a preparação dele foi feita nos mínimos detalhes, podem esperar! Nos encontramos no Rock in Rio!

Comentários

Editores do Beat for Beat. Apaixonados pela música, pela pista e uma boa taça de gin.