fbpx
Conecte-se com a gente

Oi, o que você está procurando?

Editorial

3 anos sem Avicii: 3 grandes feitos de um dos maiores DJs da história

Separamos 3 grandes feitos de Avicii que mudaram sua história e a história da música eletrônica no mundo todo. Conheça-os.

Avicii

Avicii

Já parou para imaginar o que uma grande lenda faz para ser lembrada de forma natural? Neste 20 de Abril, há exatos 3 anos, perdemos uma das maiores lendas da história da música eletrônica mundial. O DJ e produtor sueco Tim Bergling foi, sem via de dúvidas, um marco para a história da música eletrônica mundial. Poderíamos selecionar diversos shows, álbuns, singles, clipes e o que mais fosse de Avicii, mas decidimos aqui, fazer uma homenagem de forma diferente, selecionando 3 grandes marcos do produtor, que se mesclam junto à dance music deste novo século.

Durante seus 28 anos Tim percorreu um caminho que poucos jovens conseguem. Cercado de grandes prêmios, inúmeros fãs e um repertório ímpar, Avicii, como se denominava no mercado da música, também ganhou junto com todas as suas vitórias, um triste fim, cheio de problemas de saúde e uma hipótese de suicídio, também levantada pela própria família. Mesmo partindo de forma muito bruta e jovem demais, Tim deixou além de sua música, grande feitos, como os 3 que listamos abaixo:

1. A ascensão do dance music como música comercial

Avicii

Avicii no Tomorrowland 2011

Em 2011, Avicii lançou ‘Levels‘, sampleada na canção gospel de 1962, ‘Something’s Got a Hold on Me‘ de Etta James. Desde então sua música chegou a praticamente todas as rádios do mundo, incluindo um dos clipes mais vistos na internet na época em que foi lançada, além de claro, levantar uma bandeira da qual poucos levantaram durante década, a reprodução da música eletrônica como consumo comercial.

Após ‘Levels’, Avicii começou a pisar nos palcos de grandes festivais de música, como poucos pisariam. Com participações em festivais como Lollapalooza, focado em música alternativa, Tim levou para o mundo seu som e o som do que viríamos a chamar de EDM, pouco tempo depois.

Com Avicii, outros grandes produtores também abriram caminhos para que DJs de todo mundo conseguissem seu tão desejado espaço em tantos gêneros presentes no planeta. Avicii com certeza está no panteão de nomes que levantaram a bandeira da EDM, assim como Calvin Harris, Skrillex, Swedish House Mafia, David Guetta, Armin van Buuren, Tiesto e tantos outros do início do boom da dance music no mundo todo nos anos 10′.

2. A participação e a integração da música pop à dance music

Avicii

Madonna e Avicii

Avicii foi o único produtor eletrônico que conseguiu estabelecer uma presença tão significativa na música pop, tanto que em diversos momentos, sua trajetória também pode ser confundida com o gênero. Desde colaborações inusitadas à remixes esperados por todos seus fãs, Tim já trabalhou com nomes dos quais pouco DJs tiveram a oportunidade de trabalhar.

‘Stories’, um de seus principais álbuns, lançado em 2014, incluiria colaborações com Jon Bon Jovi, Serj Tankian do System of a Down, Chris Martin do Coldplay, Wyclef Jean e Matisyahu. Entre alguns outros grandes colaboradores de seu repertório estão Billie Joe Armstrong, da banda de rock americana Green Day, Robbie Williams, Adam Lambert, Nile Rodgers, Robin Thicke, Conrad Sewell e a rainha do pop, Madonna, da qual até já participou de um show do produtor, no Ultra Music Festival.

3. A importância da saúde mental para DJs e produtores

Avicii

Avicii tocando em sua casa

Tanto trabalho causou a Avicii danos irreversíveis para sua saúde mental. Por mais que o DJ tivesse ao seu lado uma grande equipe e profissionais de ponta à sua disposição, nada adiantaria se o próprio não tomasse conta de si. Em 2011, Bergling foi hospitalizado por 11 dias em Nova York, com pancreatite aguda causada pelo alcoolismo, o quadro se agravou em 2014, quando foi novamente internado com uma crise de apendicite, onde foi operado, e teve seu apêndice e vesícula biliar removidos.

Mas tanto stress, persistente através de turnês exaustivas e um ritmo de trabalho descomunal, deixaram-no com problemas mentais. Médicos que tratavam o estado de saúde do produtor encontraram diversos sinais de problemas, os mesmos que outros grandes artistas enfrentam como depressão, síndrome do pânico, ansiedade e a síndrome de burnout, que se agrava pelo trabalho excessivo. Após tratamento psiquiátrico, Tim desistiu de tomar medicamentos e isolou-se em sua casa, o que tornou tudo pior até a descoberta de sua morte.

Desde então, o mundo da música eletrônica trata com muita seriedade este problema tão comum para artistas. A própria família de Tim decidiu criar uma fundação, que incentiva o tratamento preventivo de indícios de problemas de saúde mental para artistas. Fora que toda a comunidade, incluindo grandes nomes da música eletrônica, também começaram a rever suas rotinas e suas atitudes perante a este sério problema para a humanidade, com certeza, Tim fez com que a cena refletisse sobre o assunto, como ninguém antes conseguiu fazer.

Avicii apenas nos deixou em forma física, mas seus atos ainda estão entre nós, presentes em nossa história e claro na história da dance music mundial. Stream na lenda? Ouça abaixo seu maior sucesso:

Comentários

Formado em Administração de Negócios com ênfase em Marketing, estudante de Jornalismo. DJ, poeta e workaholic. Amante de um bom som, um amanhecer e uma taça de gin.

Leia Também:

Mainstage

Em colaboração com Bono e The Edge, da banda U2, Martin Garrix produziu a música tema do UEFA Euro 2020. Saiba mais detalhes sobre...

Lançamentos

Ouça os melhores lançamentos que agitaram os primeiros 7 dias de Maio em uma playlist exclusiva nas plataformas de streaming. Comentários

Mainstage

Alesso, Tove Lo e outros grandes nomes da música, cederam suas redes para a fundação Tim Bergling. Confira os detalhes. Comentários

Via UnderGROUND

O Parlamento de Berlim decide por unanimidade de que os clubs são considerados instituições culturais importantes para a economia local. Comentários

Publicidade

Beat for Beat © 2020