fbpx
Conecte-se com a gente

Oi, o que você está procurando?

Descubra

Descubra: Quant

Brasileiro radicado em Portugal, Quant, que mistura Tech House, G-House e criatividade, é personagem da nossa coluna Descubra. Confira!

Quant

Nascido em Goiás e radicado em Lisboa, Rafael Prata Ramos aka Quant, vem mostrando que tem talento e criatividade de sobra quando o assunto é se comunicar através de uma linguagem que transcende as palavras. Com apenas 17 anos, o jovem produtor conquistou a atenção dos portais especializados aqui no Brasil quando lançou ‘YO 90′, uma faixa única independente, mas cheia de personalidade.

Misturando Tech House, G-House e criatividade, ele coloca o groove como a célula principal de sua persona musical. Inspirado em grandes nomes como Cloonee, Amine Edge & DANCE, Victor Lou e Classmatic temos um talento emergente que promete colocar  movimentos corporais sob seu controle. Mas, antes de dançar, que tal descobrir mais um pouco sobre ele? Segue o fio!

Beat for Beat – Olá Rafael, tudo bem? Obrigada por essa entrevista. Bom, acho que para você é normal ter as pessoas se surpreendendo com sua idade. Como e quando foi que você descobriu a música eletrônica? E quais são suas bases antes dela?

Quant – Olá, tudo ótimo! Eu descobri a música eletrônica quando era muito novo, um amigo sempre escutava esse gênero e eu escutava junto com ele e achava aquilo incrível e ficava muito curioso. As minhas bases musicais sempre foram o hip hop, jazz, soul, sempre gostei desses estilos.

Vi que você se inspira em Victor Lou e Classmatic, nomes fortes do cenário nacional. Fico imaginando que sua colaboração com eles pode estar próxima. É algo que você almeja? Quem são seus mestres musicais?

Quant – Sim claro! Acho que fazer uma collab com as suas referências é sempre um sonho para qualquer DJ e Produtor. É um pouco difícil citar todos mas tenho como mestres musicais artistas como FKJ, Jacob Collier, Masego, George Duke.

Sua track Yo 90 mistura algumas influências estilísticas, tem um vocal com uma pegada anos 90. Conte-nos sobre ela. Como foi o processo criativo?

Quant – Eu sempre procuro fazer as músicas de uma forma natural, não ficar quebrando a cabeça em frente o computador e tentando forçar alguma ideia e com a ‘Yo 90‘ não foi diferente, eu quando comecei a produzir ela tinha a ideia do que queria e fui passando essa ideia para o Ableton, também fui colocando as minhas referências e quando vi consegui chegar no resultado que queria.

Você mora em Portugal e com uma pandemia no meio, você ainda não conseguiu viver uma vida noturna de verdade, certo? Mas você já conseguiu mapear alguma coisa por aí para trabalhar seu estilo? O que você sente sobre o cenário de Lisboa?

Quant – Correto! Sim, consegui! Sinto que é um cenário pouco voltado ao tech house, não sinto que o tech house tenha tanto palco aqui, sinto que o Techno é muito forte em Portugal,  não só em Portugal mas na europa em si. Sinto que Portugal pode melhorar muito mais na cena do tech house.

Temos cada vez mais jovens ingressando na música eletrônica como uma profissão e começando cedo (olha você, risos!). Por que você acha que isso pode estar acontecendo? 

Quant – Acho que é por conta de uma quebra de tabus que vem acontecendo ultimamente, antigamente tinha muito aquela ideia de que, para ser alguém na vida, você ia precisar ser médico, advogado, professor… dentre outras coisas. Então sinto que muitos jovens estão se sentindo encorajados para começar neste meio pois o preconceito com esse tipo de trabalho está começando a ser rompido, mas claro, ainda há muito trabalho pela frente.

Ainda sobre esse tema: aqui no Brasil tem uma galera muito engajada começando também. Tem alguns nomes aqui da nova geração que você acompanha também?

Quant – Sim, o Brasil é uma “caixa de surpresas”, tem sempre talentos em todos os cantos, os nomes que eu acompanho fortemente da minha geração são os artistas como Jame C e Simas.

E os planos para o futuro? Alguma novidade vindo por aí?

Quant – Meus planos para o futuro é fazer lançamentos em labels da Europa, pois para mim é muito fácil aceder a estes países.  Tem novidades vindo sim, mas infelizmente ainda não posso contar, fiquem atentos!!

Comentários

DJ, Produtor, Redator, Libriano e Sonhador. Trance para amar e Techno para dançar, com uma taça de Gin para acompanhar. Onde é o after?

Leia Também:

Review

Após meses fechado, o Laroc Club reabriu em sua máxima potência, recebendo um dos DJs mais queridos do público brasileiro: Boris Brejcha. O sol...

Via UnderGROUND

CAOS, conceituada casa de Campinas também terá série de novidades em sua estrutura, incluindo uma nova pista externa de house. Conheça a programação de...

Agenda

Com um cartão portal de São Paulo como cenário, a dupla Sunnery James & Ryan Marciano retorna ao país para a White Party Deep....

Via UnderGROUND

Confirmando oficialmente sua edição 2022 em São Paulo, o DGTL contará com nova direção e se posicionou sobre os ingressos da edição 2020. Marcando...

Publicidade

Beat for Beat © 2020 | CNPJ 16.853.408/0001-46 | (11) 98602-8789