fbpx
Conecte-se com a gente

Oi, o que você está procurando?

Entrevista

Entrevistamos: Melanie Ribbe

Melanie Ribbe, desde 2015, tem ganhado forte destaque na cena underground, indo do tech-house groovado a um poderoso techno em instantes.

Melanie Ribbe

Melanie Ribbe na DGTL São Paulo

A DJ e produtora alemã-jamaicana Melanie Ribbe, tem conquistado desde 2014 um vasto mundo de oportunidades na sua carreira da música. Também modelo, Melanie, já dividiu sua vida entre as passarelas e as pickups, mas foi em Ibiza, que realmente se apaixonou por toda a música eletrônica e de lá criou seu grande império.

Formada na London Academy of Music Production, Ribbe já assumiu a residência do histórico Amnesia Club e também ganhou sua própria festa no Cova Santa Ibiza, a ‘Melanie Ribbe & Friends’, que recebeu grandes artistas durante a temporada de verão de 2015.

Conversamos com Melanie, a ‘Angel of Techno‘, na última edição do DGTL São Paulo, um pouco sobre sua sonoridade, carreira e sonhos. Leia abaixo:

Melanie Ribbe

Melanie Ribbe

B4B: Oi Melanie, que prazer, tudo bem? Vamos lá, para começar, você nasceu na Alemanha, mas foi morar desde pequena na Jamaica. Como é que foi para você, conviver com um povo e com uma cultura tão única e como você levou isso para a sua musicalidade?

Melanie: Eu estou trocando os continentes a cada dez anos né, já já estou na Antártica [Risos]. Consigo me adaptar bastante, já morei em 14 cidades, então é uma questão muito fácil para mim. Lá na Alemanha, escutei techno pela primeira vez quando tinha 4 anos, estava no carro do meu pai e isso ficou bem marcado para mim. Quando me mudei para a Jamaica, com minha família, escutava muito reggae e hip-hop e agora me mudando para a América do Sul, coloquei nessa mistura um pouquinho de afro-house também e consegui inserir todos os continentes juntos no meu som.

B4B: Nós sabemos que você é uma incrível modelo também, como foi conciliar a carreira da música com a vida das passarelas?

Melanie: Comecei como modelo quando tinha 16 anos, logo depois já rolou de começar a estudar música. Eu usava o dinheiro da minha carreira de modelo para estudar música, porque a música sempre foi minha paixão. Depois que consegui focar na carreira de música eu parei de modelar, mas retornei para comprar os synths, os vsts, sempre um bancando o outro.

Melanie Ribbe

Melanie Ribbe

B4B: Você já disse que Ibiza abriu a sua mente para a música eletrônica, como foi para você chegar na ilha pela primeira vez e encontrar a música eletrônica?

Melanie: Quando fui pela primeira vez à Ibiza, eu fiquei tão emocionada, porque Ibiza é um lugar tão especial no mundo, não existe um lugar igual a ilha mágica e acabei explodindo em tantas emoções e desde então sabia que teria que seguir a carreira da música.

B4B: Quando falamos de Ibiza, sabemos que você também teve uma grande residência no Amnesia lá também e depois ainda criou sua própria festa no Cova Santa, como foi para você levar seu nome aos outdoors de Ibiza?

Melanie: Na primeira vez que fui à Ibiza, o primeiro club que eu pisei foi o Amnesia e lá eu tive um sonho de tocar na ilha. 6 anos depois, quando já era DJ, eu projetei em tocar no Amnesia em 5 anos, mas logo depois de um mês, eu recebi uma ligação, dizendo que eu iria tocar no Amnesia Ibiza, chorei muito de felicidade. E quando toquei lá, os donos curtiram muito meu som e estava faltando uma posição de residente, eles decidiram então conversar com meu manager e conseguiram me colocar como residente. O Amnesia e o Cova Santa são dos mesmos donos, o que facilitou para que eu criasse minha festa também lá no Cova Santa.

Melanie Ribbe

Melanie Ribbe

B4B: As mulheres tem criado bastante destaque na cena underground, mas ainda falta um pouquinho da presença feminina nos grandes line ups. O que você acha que falta para que de fato as mulheres assumam essa posição?

Melanie: Na verdade, temos oportunidades para isso acontecer. Os clubs e festas querem mulheres no line up, mas as meninas precisam trabalhar bastante para chegar lá também e quando elas também trabalharem bastante, elas chegarão lá. Precisa produzir muito, lançar muito. E quando as mulheres tiverem essa bagagem, o lugar estará lá, esperando por elas, porque a cena quer mudar e os donos de clubs e eventos querem um lineup de qualidade para os dois gêneros. Existe a possibilidade, hoje na DGTL, já temos 30% do line up feminino, no próprio Amnesia, a porcentagem já chega a 40%, mas é necessário também muito trabalho e envolvimento para que dê certo.

B4B: Para finalizar, como estão as expectativas para tocar aqui no DGTL São Paulo?

Melanie: Nossa! Ainda não estou ansiosa, estou deixando a ansiedade apenas para quando eu pisar no palco, porque eu sou muito ansiosa e tento nem pensar sobre. Estou muito segura, pronta, tocar no Brasil sempre é muito bom para mim e eu quero vocês dançando lá também! Obrigada meninos!

Melanie Ribbe

Melanie Ribbe no DGTL Sao Paulo

Comentários

Formado em Administração de Negócios com ênfase em Marketing, pós graduando em comunicação. DJ, poeta e workaholic. Amante de um bom som, um amanhecer e uma boa dose de esperança.

FACEBOOK

PLAY!

Leia Também:

Agenda

O DJ e multi-instrumentista suíço Jimi Jules estreia temporada de grandes aberturas no Caos, em Campinas. Comentários

Via UnderGROUND

A faixa, ‘Illuminated’, faz parte do recente álbum de Majoness, “Call to Papito”, e foi gravado com um celular. Assista agora. por Rodrigo Airaf...

Via UnderGROUND

Rene e Camila, do Binaryh, receberam o convite para estrear em Ibiza, ao lado de alguns dos maiores nomes do techno mundial. Comentários

Via UnderGROUND

A holandesa Clone Distribution encerrou contrato com a Trip Recordings, de Nina Kraviz, devido suas possíveis saídas Pró-Putin. Comentários

Publicidade

Beat for Beat © 2020 | CNPJ 16.853.408/0001-46 | (11) 98602-8789