fbpx
Conecte-se com a gente

Oi, o que você está procurando?

Mainstage

Nós fomos no Tomorrowland Brasil!

Saiba um pouco, de como foi a passagem do festival pela Fazenda Maeda, em Itu.

9

Infelizmente, chegou ao fim a 2ª edição do Tomorrowland Brasil. Cerca de 150mil pessoas estiveram na Fazenda Maeda, em Itu, para curtir 3 dias de muita música e diversão.

6 palcos, mais de 100 DJs e muita vibe boa, essa foi a fórmula do festival.

Vamos analisar um pouco do que foi o festival?

Este ano, o tema escolhido foi o “The Key to Happiness”, tema de 2014 na Bélgica. O palco era uma grande máquina, que era acionada com uma chave, a chave da felicidade. Às 18h, pontualmente e todos os dias, a chave passava do meio da multidão, para ligar o gigantesco palco.

Cascatas de água, engrenagens, rodas, fogo e fumaça… tudo isso era ativado. Um grande rosto mecânico surgia no centro do palco e dava boas-vindas aos djs da noite.

6

Muita poeira e muita gente reunida, isso era o Mainstage, uma das grandes atrações do Tomorrowland. O festival, por ser realizado numa fazenda, não pode evitar algumas coisas e a poeira é uma delas. O tempo seco também não ajudou muito, e durante vários momentos, era possível ver a nuvens de poeira entre a galera. Máscaras improvisadas apareciam a todo momento, por isso, lembre-se da sua no próximo ano.

Fantasias, gente bonita e feliz circulavam por toda fazenda. O Wind Stage foi outra grande atração da festa. A tenda reuniu multidões, que se revezaram pra ver os djs do Warung, Alok e sua trupe de Brazilian Bass (destaque para Dazzo) e o V Sessions.

Uma fila gigante, muitas sungas, biquínis e clima de pool party: este foi a The Pool by Fusion. Um dos grandes destaques foi o brasileiro Alok, fazendo um set um pouco diferente do habitual e levando a galera ao delírio.

O Tomorrowland também tem espaço para os sons mais “undergrounds” e quem mostrou isso foi o Tulip Stage. Amantes do hardstyle, psy-trance e drum’n’bass lotaram o palco e fizeram a festa nos 3 dias de festival.

O palco dos espelhos, o Mythical Frames, foi outro campeão de público. Nós assistimos a brasileira Anna e podemos afirmar: ela será um dos grandes destaques do Techno mundial em pouco tempo!

Já o House of Books nos presentou com grandes surpresas. Além de receber Nicky Romero e sua gravadora, ele também foi casa do Full On, na quinta. Nossa equipe optou por deixar um pouquinho o mainstage e encerramos o primeiro dia de festival com Aly & Fila, não poderíamos ter feito decisão melhor! Os egípcios mandam muito bem.

Mesmo com a pearl mais cara que o dólar (R$6,25), algumas filas e garrafas sem tampa, o Tomorrowland repetiu a dose e nos proporcionou uma experiência mágica, incrível.

Em breve, vocês poderão ver nossa cobertura completa, com fotos e vídeos aqui, e no Facebook. Corra e curta nossa página: www.facebook.com/beatforbeat

E se você foi no festival, mas não conhece a história dele, ou não foi, mas quer saber onde tudo começou, fizemos um vídeo contando a trajetória de um dos maiores festivais de música eletrônica. Confira:

Pra deixar vocês com água na boca, aqui vão algumas fotos:

Comentários

DJ, Produtor, Redator, Libriano e Sonhador. Trance para amar e Techno para dançar, com uma taça de Gin para acompanhar. Onde é o after?

FACEBOOK

PLAY!

Leia Também:

Mainstage

Encerrando as comemorações de aniversário do B4B, o Beat Awards premia grandes nomes da cena eletrônica nacional e internacional de 2020. Eis que as...

Mainstage

Dando continuidade ao seu projeto de “perseguir paisagens”, Reezer apresenta um set na Baía de Guanabara no Rio de Janeiro. Assista! Gravado em um...

Mainstage

Nova medida do ministério da cultura da Dinamarca prevê auxílio para organizadores de festivais do primeiro semestre de 2021. Comentários

Mainstage

Mesmo com a pandemia, o festival inglês Creamfields bateu seu próprio record de vendas para a próxima edição presencial. Comentários

Publicidade

Beat for Beat © 2020