fbpx
Conecte-se com a gente

Oi, o que você está procurando?

Descubra

Descubra: Pitros

Artista do interior de Minas Gerais, Pitros,  se especializa em produzir Tech-Funk, vem conhecer em nossa coluna Descubra!

Pitros

por Nicolle Prado

Estilo autêntico. Melodias criativas. Elementos minimalistas eletrizantes. É esse o combo apresentado por Pitros em suas composições de House e Tech House, que contagiam o público a ficar a noite inteira na pista. Com mais um lançamento dançante, “House Party [Desce]” acaba de chegar às plataformas pela NuBaile, com influências de Funk e brasilidades. 

Natural de São João del-Rei (Minas Gerais), em 2015, Pedro de Souza Neto, ou apenas Pitros, iniciou na música eletrônica, construindo uma carreira sólida como DJ, e fomentando a ascensão do dance music, não só no Brasil, mas também no mundo todo. Através de grandes lançamentos musicais, como o edit de “Welcome To The Jungle”, ele conquistou o público e se posicionou muito bem na cena internacional. Com resultados tão positivos, o mineiro é um dos pioneiros do Tech House em sua região. 

Em 2020, Pedro também começou a atuar como produtor musical, levando toda  sua experiência e bagagem cultural para novas produções e artistas. Conhecido por seus sets ecléticos, ele apresenta várias influências em suas composições, inovando nas mixagens ao mesclar características de diversos gêneros. Mesmo com tantas referências, Pitros mantém o equilíbrio, sabendo dosar bem cada elemento para compor a sua identidade sonora. Seu som é cheio de personalidade, marcado pelo minimalismo, mas sempre de maneira única ao combinar melodias vibrantes e dançantes.

Para celebrar mais um lançamento do DJ e produtor Pitros, convidamos ele para uma conversa sobre sua carreira, influências, novas aspirações e claro, para falar sobre “House Party [Desce]”: 

Beat for Beat – Oi, Pitros! Tudo bem? Obrigada por topar conversar com a gente. Você já é um artista bem consolidado na cena do House e Tech House com alguns anos de carreira. Mas conta pra gente, como foi o início, como surgiu o seu interesse pela música eletrônica? Qual foi a sua maior motivação e principais influências?

Pitros: Meu interesse começou por volta de 2016 com sets de um amigo DJ, o que levou eu e meus amigos a frequentar os primeiros festivais em Belo Horizonte. Na época eram festivais de EDM, e eu me influenciei muito pela dupla Dirtyloud que na época tocava Eletro-House. Posteriormente começaram a encaixar Alok, Dazzo e Gabe com um Techno progressivo brasileiro, daí me encontrei melhor ali no low BPM, posteriormente fui moldando meu gosto até chegar nos últimos 4 anos que sou bem imerso no House e Techno.

A gente ficou sabendo que a sua família é responsável pelas festas tradicionais de Carnaval de São João Del-Rei (MG), sua cidade natal. Você vê influências deles na sua carreira musical? Eles te incentivaram no começo?

Pitros: Sim, vejo muitas influências do gosto musical dos velhos nas minhas referências e produções, adoro um samba e um pagode mais raiz. No começo recebi pouco incentivo, conforme fui trabalhando mais e me dedicando, consequentemente conquistando melhor meu espaço, eles começaram a respeitar e apoiar mais. Hoje tenho um grande apoio deles!

E como foi começar a trabalhar com música eletrônica na sua cidade? Você é considerado um fomentador cultural e pioneiro local do House/Tech House, mas como é a cena na região de São João Del Rei? 

Pitros: A cena em São João del-Rei antigamente era mais voltada pro high BPM, posteriormente eu e meus amigos criamos eventos mais voltados pro House que trouxeram muitas atrações nacionais. Porém, neste momento pós pandemia os eventos estão enfrentando grandes dificuldades aqui para se manterem rentáveis com a alta dos preços. Mas a cidade é muito hospitaleira com os artistas e tem bastante público com com um gosto mais conceitual apesar de sermos do interior.

Você atua como DJ há algum tempo com uma carreira bem consolidada, e em 2020, começou a trabalhar também como produtor. Como foi esse processo? Principalmente, levando em consideração que estávamos em meio a uma pandemia, isso influenciou você a se arriscar mais para a produção?

Pitros: É até meio ruim falar isso, mas a pandemia me salvou, me fez abrir os olhos e foi um grande divisor de águas. Minha carreira de DJ ia bem por conta de eu também ser produtor de eventos, mas ali pouco antes da pandemia já estava notando que a carreira começava a  estagnar. E aí, com todos trancados, não haviam mais desculpas pra eu me sabotar em começar a produzir. No começo foi bem ruim, porque como eu era DJ e já tinha um gosto mais apurado, me frustrava muito por não conseguir fazer/chegar na qualidade e estética que queria. Mas aí vem a importância de fazer no começo várias músicas do início ao fim com mix e master (mesmo que fiquem horríveis) pois no começo a quantidade de música finalizada que vai fazer você entender melhor seu processo e dominar as técnicas na DAW.

Nesses anos como DJ, você sempre se destacou bastante na cena, e como produtor, mesmo sendo um pouco mais recente, tem apresentado resultados muito positivos. Quais conquistas da sua carreira te fizeram vibrar mais, que eram um sonho se realizando?

Pitros: Por eu ter sido muito tempo DJ, acho que o que mais me marcou foi ter as primeiras músicas lançadas no Spotify. Mas veio de certa forma muito “rápido”. Meus primeiros suportes pelo Jay Mariani e Mochakk foram outro sonho realizado, ver minha música tocando pelo mundo inteiro e receber o suporte de um dos TOP 100 DJs. E recentemente fiz uma colaboração com um grande artista.

Você está lançando agora a primeira track de 2022, “House Party [Desce]” pela NuBaile, quais foram as suas maiores influências na hora de criar essa música e quais elementos você quis evidenciar e transformar?

Pitros: A faixa surgiu em um momento que eu estava na vibe de fazer sons mais acelerados então eu tinha um groove de kick e bass tom em 130 bpm, quando fui montar a bateria vi que o groove tava me lembrando um Funk, daí peguei um loop bem clássico e joguei por cima, o que acabou casando muito bem com o som e deu a origem do break principal onde tudo é filtrado e sobra apenas o Funk. 

E como tem sido essa parceria com a label NuBaile?

Pitros: Meus amigos me apresentaram pro A&R de lá, o Whighle, que toca 100% “Tech Funk” em seus sets, e aí acabei mostrando alguns sons nessa linha para ele. Ele sempre muito atencioso pegou esta faixa para o release e estou com boa expectativa para a track, pois ela funciona muito nos meus sets!

Para finalizar, quais são os seus próximos passos? Podemos esperar mais músicas para o segundo semestre de 2022? Além do seu trabalho como DJ e produtor, tem mais alguma atuação que você vislumbra para o futuro?

Pitros: No final do mês dia 29/07 já tenho um próximo lançamento da Bad Joke, com meu parceiro Igor Castro. Além disso teremos lançamentos todos os meses alternando originais e edits. Para o futuro próximo quero concretizar as maiores collabs que venho fazendo, atingir uma major label estrangeira e fazer estreia em eventos maiores na região. Além de DJ/Produtor, por hora não vislumbro nada, mas no futuro quem sabe abrir um próprio selo. Muito obrigado pelo convite, pessoal do B4B.

Acompanhe Pitros no Instagram.

Comentários

Publicitário, gerente de imprensa na Beats n’ Lights. A informação transforma, a verdade conecta, as palavras voam e a música liberta.

Leia Também:

Agenda

O DJ Israelense Guy J, que coleciona grandes passagens pelo Brasil, retorna mais uma vez ao D-Edge em grande companhia. Saiba mais. Existem diversos...

Agenda

No dia 3 de setembro, o 9º melhor club do mundo segundo a aclamada revista britânica DJ Mag, recebe 3 grandes nomes do EDM....

Lançamentos

“New Scream” foi lançado na última sexta e logo se destacou no Beatport, o disco pegou Top 10 no chart de tech house, e...

Mainstage

Podcast mira em sonoridades profundas do House e a divulgação de talentos nacionais com muito talento. Confira Abaixo. Por Sofister   Acostumado a navegar...

Publicidade

Beat for Beat © 2020 | CNPJ 16.853.408/0001-46 | (11) 98602-8789