Psy-Fi: O elo xamã escondido na floresta holandesa

O Psy-Fi Festival, um dos maiores festivais de trance do mundo, mostrou porque é tão querido entre os europeus em mais uma épica edição em Leeuwarden.

Psy-Fi
Palco Chill Out do Psy-Fi Festival

Neste último mês, tivemos o prazer de cobrir o Psy-Fi. O festival que teve duração de 5 dias mostrou porque é o queridinho de muitos europeus, ainda mais de quem gosta do velho e bom trance. Podemos descrever o lugar como mágico, inclusivo, paradisíaco, diferente de qualquer festa que já frequentamos aqui na Holanda.

No primeiro dia de evento, participamos da abertura.  Em cada edição o Psy-Fi celebra um tema e e em 2018 presenciamos o xamanismo (aqui  no site oficial tem um texto contando detalhadamente o tema deste ano). O festival contou com uma estrutura magnífica, cada detalhe fazia a diferença, os lugares para camping eram perfeitos e totalmente adequados para o uso de seus frequentadores, se você não podia ou não queria trazer sua barraca, era possível você locar uma que Psy-Fi disponibilizava junto com os colchonetes. Fora os banheiros com água quente, que também era possível, pagando apenas 1 token da moeda do festival, poder relaxar em um banho quente, agora se você quisesse economizar, ainda haviam chuveiros gelados, de graça, por conta da organização.

Psy-Fi
Cerimônia de abertura com ritual Xamã

O que mais nos chamou a atenção foi ver torneiras espalhadas por todo recinto, com água filtrada, banheiros totalmente limpos e quase nenhuma fila para qualquer lugar que fossemos. Se você estava com pouca grana e não estava podendo comer na praça de alimentação todos os dias, o Psy-Fi disponibilizou ônibus que te levava até o supermercado da cidade, onde você comprava sua comida, podendo cozinhá-la na cozinha comunitária que o festival disponibilizou para o público, parece mentira né? Mas é real e incluso no ingresso, além do mais era possível você fazer suas compras de THC nos coffe shop’s que ficavam próximos ao mercado também, incrível.

Psy-Fi
Mainfloor totalmente limpa em uma manhã de evento

O Psy-Fi também se preocupa com o bem estar dos animais que habitam naquela região. Sendo assim o som que geralmente nos festivais fica o tempo todo no volume máximo, o evento mais uma vez se mostrou diferente, às 23:00 na quarta, quinta e domingo e à 01:00 da manhã na sexta e no sábado o som era reduzido em um volume que não irritasse e assustasse a fauna nativa, auxiliando também os frequentadores em um descanso mais longo do que o habitual em festivais de longa duração.

Psy-Fi
Detalhes de um palco alternativo durante a noite

Agora se você quisesse continuar fritando durante a madrugada, o evento disponibilizava o aluguel de um fone de ouvido, com excelente acústica e tecnologia bluetooth, para que seus clientes continuassem curtindo uma noite cheia de mistérios, prosseguindo com a vibe até o Sol raiar, tudo pensado perfeitamente para não agredir nenhum ecossistema mais próximo e também se esquivar de problemas com o público.


E que line up foi esse? Praticamente só os melhores produtores de todos os gêneros da cena trance mundial. Durante o dia, o mainfloor explodia de energia com os dj’s de progressive trance que te levavam ao êxtase, sempre quererendo compartilhar seus sentimentos com quem estava ao seu redor, surreal… Captain Hook, Gaudium , Zen mechanics, Logic bomb, Liquid soul e o Rei Astrix foram os nomes do progressive desta edição.

Psy-FI
Palco principal do Psy-Fi

Subindo o bpm para o psychedelic trance não poderíamos deixar de comentar sobre Sonic species, Burn in noise (BR) e GMS. Quantos aos sons noturnos, Full on night , forest, hitech, ave Maria! Nossos favoritos do baile e que fizeram uma perfeita apresentação foram Fungus funk, Dirty Saffi , Xenrox , Oxidaksi, Purist, Cosmo, Kindzadza, Alpha, Megalopsy, Virtual Noise, Pastor JOHN, Kashyyyk, Will O Wisp ,Nementon e Obscurium. Deu logo pra imaginar como foi sentir tudo isso de perto não deu?

Psy-Fi

Com uma gastronomia incrível e multicultural podíamos experimentar um pedacinho do que alguns países europeus têm de melhor em sua gastronomia. Os cardápios variavam de comida italiana, japonesa, tailandesa, entre tantas outras. E quem disse que não tinha brasileiros trabalhando no festival? Grande parte dos artesãos na feira dentro do evento era de brasileiros. Com colares, brincos e outros atrativos a venda, os artesãos brasileiros deixaram sua marca em algumas pessoas que compraram suas artes manuais. Nos sentimos muito bem representados.

Detalhes da tenda do @psyfifestivalofficial #PsyFi

Uma publicação compartilhada por Beat for Beat (@beatforbeatbr) em

O Psy-Fi acabou e nos deixou com um gostinho de quero mais. Mostrou porque é tão querido e desejado para os europeus e nos fez logo pensar em uma próxima edição e que seja em breve! Estamos ansiosos 2019. Confira a nossa cobertura completa em nosso Instagram.


Comentários