Resident Advisor resume 2019 em 6 tendências de mercado

Da transformação dos palcos à conscientização de mudanças climáticas. Conheça os 6 tópicos que fez com que o Resident Advisor resumisse 2019.

Resident Advisor
Resident Advisor

O Resident Advisor (RA) é uma das principais fontes de informações sobre clubs, eventos e notícias da música eletrônica underground. Recentemente, o portal publicou um artigo detalhado sobre como o cenário da dance music se relaciona com as diversas situações do mundo atual. Em 6 pontos chave, analisados e separados pelos editores, o RA descreve as principais tendências mundiais que interferem no campo da música eletrônica mundial. Conheça-os abaixo:

1. A transformação do Techno

Charlote de Witte, grande aposta do techno mainstream

Parece que o gênero da vez dentro da música eletrônica atual é um dos mais antigos possíveis. O techno evoluiu tanto neste ano que passou a ser mainstream novamente. Seja nos palcos do Tomorrowland, ou em grandes festivais de sua própria indústria, como o Time Warp e o Awakenings, o techno ganhou também grandes DJs supertars, batendo de frente com o house e suas subvertentes atuais.

2. Uma nova era para a vida noturna de Berlim

Berlim

Berlim, na Alemanha, é uma das cidades que possuem um grande histórico de vida noturna. Seus clubs tradicionais e conceituais começaram a ceder espaço para a cultura queer, que se expande com uma força brutal por toda a Europa. Á medida que as pessoas frequentam e conhecem a cultura queer, a cena da dance music fica mais abrangente, seja dissipando novos gêneros musicais, dance fluids e novos conceitos de se curtir a noite.

3. Novos (e velhos) formatos de mixagem

Vinil
Retorno potente do vinil no mercado

Cada dia mais a tecnologia avança perante os artistas que trabalham com dance music. Os equipamentos de DJ permanecem em constantes evoluções a cada ano, permitindo com que novos talentos surjam já apreciando novas técnicas de discotecagem. outro grande ponto importante foi o sólido retorno do vinil, que saiu da estante de colecionadores e voltou às pistas de dança, com suas vendas batendo novos records neste ano.

4. Urgência para o ativismo na cena da dance music

Protesto no Líbano acaba com dance music, 2019

A música eletrônica neste ano foi usada como arma em diversas manifestações políticas pelo mundo. Seja no Oriente Médio, Turquia, Israel ou na América Latina, a dance music voltou a ter voz ativa também em mensagens transmitidas por grandes artistas do gênero. De grandes shows para arrecadar fundos à ONGS ou a ações filantrópicas de próprios artistas para a humanidade.

5. Um domínio complicado das redes sociais

Com o rápido crescimento de novos talentos no mercado e a atualização constante de novas políticas dentro das redes sociais, atualmente diversos potenciais artistas estão perdidos em como divulgar seus novos trabalhos, às vezes investindo em armadilhas, enfatizando ainda mais a necessidade de um social media para sua evolução na carreira.

6. A crise climática vem à tona

Lixo em festival de música

A sujeira toda da crise climática no mundo não consegue mais ser jogada para debaixo do tapete. Desde o cancelamentos de shows e turnês devido a grandes tempestades até a atitude de artistas a favor de novas medidas para o clima, clubs e eventos passaram a levar a consideração da redução de lixo, carbono, métodos de reciclagem e acima de tudo conscientização para permanecerem vivos e ativos no futuro.

Você pode conferir o artigo completo do Resident Advisor aqui.

Comentários

Formado em Administração de Negócios com ênfase em Marketing, estudante de Jornalismo. DJ, poeta e workaholic. Amante de um bom som, um amanhecer e uma taça de gin.